domingo, 16 de dezembro de 2018

Os anjos que nos visitam


Desde muito cedo, a Ana necessitou de atendimentos especializados para manter uma boa qualidade de vida. Foram anos levando a Ana para sessões de fisioterapia e fonoaudiologia que lhe ajudaram muito em cada momento de sua vida. Em certos momentos necessitamos de atendimento domiciliar. Foi aí que tivemos ajuda de alguns profissionais, que passamos a considerar como anjos protetores da Ana Beatriz. 

Ana Beatriz usando tala para correção da pisada
O primeiro anjo a nos visitar em casa para ajudar a Ana Beatriz foi a fisioterapeuta Sabrina Bartel, a quem chamamos até hoje de Tia Bina. Às vezes, quando a Ana não estava muito bem e precisava de uma fisioterapia respiratória, era só mandar uma mensagem que a Sabrina dava um jeito de vir aqui em casa fazer um atendimento. Ela nos ajudou muito, tornou-se uma amiga querida e a consideramos até hoje como um membro de nossa família. 

Quando voltamos do Hospital Pequeno Anjo em 2011, o segundo anjo que nos visitou foi a fonoaudióloga Ivina Bonamente e sua equipe. Ela ajudou a Ana a retirar a sonda alimentar que veio com ela do hospital. Foram vários dias de exercícios até que a Ana se viu livre da sonda e voltou a se alimentar pela boca. 

Ana Beatriz utilizando a sonda naso enteral para alimentação
Após as últimas internações hospitalares da Ana, ela retornou para casa mais debilitada, alimentando-se novamente através de sonda e respirando com auxílio de um concentrador de oxigênio e acabou exigindo que todos os atendimentos fossem feitos em nossa casa. A pedido do hospital e com auxílio da Unimed Brusque, preparamos nossa casa para recebê-la com tudo o que ela necessitava e foi neste período que outros anjos começaram a frequentar o nosso lar. A primeira a chegar foi a fisioterapeuta Elisângela Tridapalli, carinhosamente chamada por nós de Tia Ely. Todos os dias ela estava aqui, cuidando da Ana, brincando com ela e criando laços de amizade conosco. Nas suas folgas quem vinha substituí-la era a Tacila Hasckel, que cuidava da Ana com o mesmo carinho e dedicação. Os atendimentos de fonoaudiologia eram feitos pela Stacey Graf, que com seu jeito meigo e tranquilo ajudou muito a Ana na convivência com a sonda alimentar. E completando o grupo tínhamos a ajuda de toda a equipe da Unimed. Os médicos, enfermeiros, psicóloga e nutricionista estavam sempre presentes nos auxiliando. 

Hoje olhando para trás, conseguimos entender que uma doença nos traz uma grande oportunidade de aprendizado. Temos mais conhecimento sobre os benefícios da fisioterapia, a importância da fonoaudiologia em diversos aspectos. A Ana, mesmo não andando precisava da fisioterapia para não atrofiar os músculos e para manter uma respiração satisfatória. A Ana, mesmo não falando, precisava da fonoaudiologia para auxiliá-la na deglutição, evitando assim problemas respiratórios vindos da bronco aspiração. A Ana sempre nos ensinou tanto através de todos estes conhecimentos que adquirimos e que podemos compartilhar com outras pessoas. 

Seremos eternamente gratos a cada um desses anjos que estiveram neste período conosco, que frequentaram a nossa casa, se encantaram com o sorriso e a simplicidade da Ana e lhe ajudaram tanto, até nos últimos dias que esteve conosco. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário