domingo, 2 de dezembro de 2018

Do outro lado – Cia do Amor

Como marinheiros de primeira viagem, tudo era novidade para nós.... Tudo era um aprendizado, estávamos passando pela escola da vida de pais. Além das matérias tradicionais também tínhamos provas de surpresa. Hoje, olhando para trás, podemos dizer que enfrentamos vários medos e também quebramos vários preconceitos . Até então tínhamos a percepção que hospital era um lugar negativo, mas foi em hospitais que conquistamos grandes amigos e vivemos grandes experiências.
Um dos ensinamentos que a Ana nos proporcionou foi como viver e conviver em hospitais. No ano de 2011, ela permaneceu internada por quatro meses no Hospital Pequeno Anjo de Itajaí. Neste período ela permaneceu várias vezes na UTI, aonde podíamos visitá-la somente à tarde. Ali na sala de espera para visita, conhecemos vários outros pais que estavam na mesma condição que a nossa, esperando pela melhora da saúde de nossos filhos. Presenciamos lutas de prematuros pela vida, alegrias das altas da UTI e lágrimas pela partida de alguns. Quando em uma das vezes que Ana recebeu alta da UTI e fomos para o quarto, começamos a receber todos os sábados a visita de um grupo de palhaços, que passava nos quartos para levar um pouco de alegria e descontração para os pacientes e seus acompanhantes. Essas visitas eram muito importantes para nós. Eram alguns poucos minutos de diversão que mudavam o foco dos nossos pensamentos, tanto que essas visitas permanecem vivas em nossa memória até hoje. 

Depois de quatro meses, voltamos para casa, e, coincidentemente, um amigo nosso, Marcio Mauricio Moraes, nos convidou para criarmos em Brusque um grupo de palhaços, com o objetivo de fazer visitas em hospitais e instituições e levar amor e alegria. 
Aceitamos prontamente o convite e em setembro de 2011 surgia a Cia do Amor. Definimos que o lema da Cia do Amor seria “Levar amor e alegria a quem tanto precisa”. 

Não somos profissionais, apenas dedicamos o nosso tempo para levar amor e sorriso aonde passamos. Continuamos até hoje fazendo visitas mensais a hospitais e instituições de acolhimento.

Somos felizes por estarmos do outro lado, podendo ajudar com nossa alegria tantas pessoas que precisam apenas de um sorriso, de um olhar, de uma atenção. Foi a Ana quem nos ensinou a importância de dedicarmos o nosso tempo ao próximo. Para nós, a Cia do Amor representa um pouco de nossa filha. E a Cia do Amor também nos trouxe grandes amigos que abraçaram conosco este projeto. 

E você? Já faz, ou pensa em fazer, algum trabalho voluntário para ajudar ao próximo? Aproveite as oportunidades que a vida lhe trás. Compartilhe conosco a sua história.

2 comentários:

  1. Vocês sabem que sou seu fã número 1, e hoje participar da Cia Do Amor tenho que voltar mais uma vez para agradecer. Não conheci a Ana pessoalmente mas, com certeza Ana me ensinou. . .

    ResponderExcluir
  2. obrigado pelo carinho. Ficamos felizes que a Ana continua ensinando...

    ResponderExcluir